<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6107247\x26blogName\x3dassocia%C3%A7%C3%A3o+de+radicais+pela+%C3%A9tica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://radicaispelaetica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://radicaispelaetica.blogspot.com/\x26vt\x3d-4802541920765737602', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

segunda-feira, março 01, 2004

Ora aqui está uma arma radical...

Vamos aí a por a malta a olhar para si mesmo!

- És muito honesto, Iorg, coisa que se tornou rara no teu mundo de origem. Mas não tenhas receio: sim, deste cabo de Chlocblaúmm. Eu sei tudo, tenho os meus meios de informação. Aquela tua conversa sobre o bem e o mal... – soltou uma súbita gargalhada – ... foi o que acabou com ele.

- Mas porquê?

Porque, replicou Shenazimm, lançara dúvidas no espírito daquele Senhor do Mal. Dúvidas sobre o mal e sobre o bem. Mais do que isso: de caminho, e por um natural processo, levara Chlocblaúmm a virar-se para si próprio, a debruçar-se sobre si mesmo, a fazer as perguntas: “Quem e o que sou eu, verdadeiramente?”

- São perguntas terríveis meu filho. Perigosíssimas. Só as pode fazer quem está preparado. No caso vertente, chlocblaúmm não estava preparado para elas e ainda menos para as respostas, que mais uma vez no caso vertente, se resumiam ambas a uma palavra: Vazio. Total e absoluto. Ora, quem é que é capaz de resistir a tal realidade?


In O Sétimo Herói de João Aguiar

comentários

<< Home

voltar ao início Site Meter