<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6107247\x26blogName\x3dassocia%C3%A7%C3%A3o+de+radicais+pela+%C3%A9tica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://radicaispelaetica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://radicaispelaetica.blogspot.com/\x26vt\x3d-4802541920765737602', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

quinta-feira, novembro 27, 2003

Animais de letras...

Caso Moderna...? como diz o capo ali na janelinha de comentários, não há-de ser nada que não se resolva com "recurso para a Relação de Lisboa, sobre a matéria de facto e direito(...)Acompanhadas de pareceres de ilustres sumidades que antes se pronunciaram em sentido contrário, com toda a naturalidade (...)A seguir, recurso para o Supremo sobre a matéria de direito e é de apostar simples contra singelo em que também aí se vai descortinar a nulidade fatal que levará à anulação do julgado da Relação..."

Resumindo, como diria o Quevedo nos seus Sueños, nada que um “animal de letras” não possa resolver...
Nos seus passinhos rápidos, unhas afiadas e jeitos de demónio, os advogados, de garras afiadas e mais rápidos que uma pluma, até parecem gatos...

Goya, Animal de Letras (Album G)

comentários

<< Home

voltar ao início Site Meter